quinta-feira, maio 31, 2007

Mar Filósofo

Lancei a minha semente ao mar
Como se este fosse terra fértil
Sem saber o quanto o sal é estéril
De todos os olhos apenas os meus enganar

Esperei deitado na areia vendo barcos passar
O céu trovar, a maré encher e esvaziar
Muitas foram as luas, e calendários riscados
Tantas horas, dias, meses, e anos roubados

Tantas cartas de Amor, palavras doces, e poemas
Tudo cogitei, tudo indaguei, todos teoremas
Mas todos meus ideais foram por ti subjugados

Seguiste em frente sem remorso ou pena
Dos anos que me haviam sido roubados
Do meu património que havias delapidado


Pedro Lopes - Passione

12 comentários:

MIGUEL GIRASSOL disse...

belo!

Paulo Afonso disse...

Gostei muito por isso vou voltar mais vezes para poder ver com calma
Abraço

carla granja disse...

Olá Pedro. li agora a tua mens e obrigado por gostres do meu trabalho. kuanto ao texto , não sei a qual te referes e o meu mail não não consigo enviar nem receber nada. só se kiseres me adicionar no messenger granja.carla@clix.pt e te enviar por aí,não sei bem ao certo o k keres. eu nasci em cascais , mas moro em olhão e estive a vêr o poema k fizeste a olhão , tá muito bonito. se tás interessado em algum trabalho meu é melhor falar , pois a falar é k a gente se entende.eh,eh,eh. bjo e vai dizendo algo. ou entao se conheces algém k tmb goste de poesia e k quisesse algum trabalho meu indica-me. eu conheço mais pessoas ligadas á musica k propriamente á escrita k não conheço mesmo ninguém a não sêr agora tu e o João filipe. obrigado e vai dizendo algo. bjo
carla granja.

Josse disse...

"Tantas cartas de Amor, palavras doces, e poemas
Tudo cogitei, tudo indaguei, todos teoremas
Mas todos meus ideais foram por ti subjugados."

Ei Pedro, bom dia. Que lindo trabalho o seu. Mas, cadê os novos posts? Não resolveu parar de escrever por aqui né? Coisas raras devem ser preservadas e continuadas. Muito lindo, voltarei mais vezes para degustar cada poesia, adorei.
Beijos

GarçaReal disse...

Passando para conhecer.Por acaso aqui vim parar.Gostei deste belo poema.
bj

SAM disse...

"Lancei a minha semente ao mar
Como se este fosse terra fértil
Sem saber o quanto o sal é estéril
De todos os olhos apenas os meus enganar "...


Belíssimos versos.

Beijo

Ricardo Rayol disse...

Pedro, agradeço sua visita e o comentário. Eu queria ter mais capacidade para produzir sonetos, que em alguns casos são desafiadores e apropriados.

Maria disse...

E eu deixei passar este post? lol....
Beijos

João Filipe Ferreira disse...

Bom dia.



Indiquei seu poema intitulado Mar Filósofo, para o " PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS 'IN BLOG' 2007", idealizado por ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA. Para conhecer as regras desse evento clique AQUI. Desde já desejo-lhe boa sorte. Participe, faça também as suas indicações e, juntos, vamos construir um dos maiores eventos relacionados à poesia, em blogs de idioma Português!



Um abraço!



Joao Ferreira

.

João Filipe Ferreira disse...

link do evento:

http://poemasdeandreluis.blogspot.com/2007/08/prmio-caneta-de-ouro.html#links

João Filipe Ferreira disse...

http://poemasdeandreluis.blogspot.com/2007/08/prmio-caneta-de-ouro.html#links

link do evento

Anónimo disse...

se não fosse o teu facebook nunca viria descobrir tanto autista lol tratem-se pá